Artigos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Poemas
HOME

LES MOTS ENDORMIS >>>

POEMAS

de

S Ô N I A van D I J C K

Novos poemas

Corpo



a que há de voltar.
Mas,
enquanto isso...

 

Saudade:

celebração de lembranças

 

Solidão


Querência de afago.
Silêncio.

 

Veredas


do outro me perdi
o outro se perdeu de mim

 

Abismos


o tempo não conhece pontes
constrói ausências

 

PARÁBOLA

 

As virgens prudentes

prepararam as candeias.

Imprevidente,

escolho o linho,

sonho carinhos...

 

Metonímias

 

minha solidão secou;

apenas a tristeza

molha o travesseiro.

 

Teatro

ritos de encontro,
na cena tão breve,
elenco e platéia,
do único ato.


 

CIGARRA

Escrevo, para te esquecer vivendo.

Canto, e te faço escrevendo.

E, assim, tenho não tendo,

não vivo vivendo;

mas, continuo te querendo.

POUCO IMPORTA

Estou aqui, e não no Taiti;

mas, pouco importa,

pois, se atravesso a porta,

levo saudade de mim.

Novos poemas

LES MOTS ENDORMIS >>>

Publicados em

Correio das artes, João Pessoa, 6 out. 2002. Suplemento literário de A união.

Confidências. João Pessoa: Ed. Universitária/ UFPB, 2003. CD rom.

Agenda 2005. João Pessoa; ADUFPB, 2005.

Fotos de

Geraldo Profeta Lima, Sônia van Dijck, Vanderley Caixe

Mulher: criação Geraldo Profeta Lima

Escultura (bronze): Paul van Dijck - Col. Sônia e Thom van Dijck

© Copyright by Sônia van Dijck

Midi: O bolero (Ravel)

TODOS OS TEXTOS DESTA PÁGINA ESTÃO PUBLICADOS EM PAPEL E EM CD ROM

E SÓ PODEM SER COPIADOS COM AUTORIZAÇÃO

AS IMAGENS SÓ PODEM SER COPIADAS COM AUTORIZAÇÃO

LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998

Novos poemas

Artigos
Contos
Entrevistas
Estudos e comentários
Opiniões
Pesquisa
Publicações